Opções de tratamento em crianças
(Tratamento precoce)


 

Saiba também:
> Opções de tratamento em crianças
(Tratamento precoce)

> Opções de tratamento em adolescentes
>
Opções de tratamento em adultos
> Casos tratados ( antes e depois)
> Cirurgia Or
tognática
 





 

Segundo a Associação Americana de Ortodontia, a primeira avaliação com o ortodontista deve acontecer aos 7 anos de idade. Embora não seja comum, alguns problemas podem necessitar tratamento com aparelhos ortodônticos e/ou ortopédicos antes desta idade. O odontopediatra que acompanha a criança será capaz de detectar possíveis maloclusões. Este profissional encaminhará a criança ao ortodontista que realizará as avaliações necessárias e se for o caso, o adequado tratamento para correção. Nestas situações o ortodontista realizará uma Ortodontia denominada Interceptora, visando impedir a instalação de prováveis maloclusões até o início da dentição permanente.

Entre 6 e 7 anos, acontece o primeiro período de transição da dentição humana, quando irrompem os primeiros molares permanentes, atrás dos dentes de leite, sem substituí-los, muito importante pois estabelecem a relação ântero-posterior e a transversa da oclusão. Nesta época, os incisivos permanentes começam a surgir, substituindo os decíduos, e alguns problemas podem ser detectados, como a falta de espaço. Na maioria das vezes ocorre um pequeno desalinhamento do dentes, considerado normal pois, na “luta” pela irrupção (“nascimento”) dos dentes, há um estímulo ao crescimento dos ossos maxilares e, além disto, normalmente haverá sobra de espaço na troca dos dentes posteriores decíduos por permanentes, compensando o desalinhamento. (Ver simulação da evolução da dentição humana)
 

Por outro lado, hábitos anormais ou alterações genéticas podem determinar problemas, que precisam de tratamento precoce. Os mais comuns são:

1
) Mordida cruzada funcional
quando o arco dentário superior é contraído em relação ao inferior, normalmente associada a respiração bucal,  podendo gerar assimetrias faciais pela má posição funcional da mandíbula, por adaptação a uma constrição do arco dentário superior.

2)  Mordida aberta simples gerada pela sucção prolongada de chupetas ou dedos, e/ou pela interposição da língua, que impedem o contato dos dentes superiores com os inferiores, comprometendo as funções mastigatórias pela falta de contato dos dentes anteriores, normalmente projetados.


Para aqueles pacientes que têm indicações para intervenção precoce, os tratamentos apresentam as seguintes vantagens:

• Influência no crescimento maxilo-mandibular de maneira positiva.
• Harmonizar a largura das arcadas dentárias.
• Melhorar a erupção padrão.
• Redução do risco de traumatismo nos incisivos superiores projetados;
• Corrigir hábitos bucais nocivos.
• Melhorar a estética e auto-estima.
• Simplificar e/ou encurtar o tempo de tratamento ortodôntico corretivo posterior.
• Reduzir a probabilidade de dentes permanentes impactados.
• Melhorar alguns problemas da fala.
• Preservar ou ganhar espaço para a erupção de dentes permanentes.


Denomina-se Ortodontia Interceptora o tratamento feito durante a dentição decídua ou mista, com duração de 12 a 18 meses. Normalmente estes tratamentos precoces buscam diminuir a complexidade do problema, e na maioria das vezes há necessidade de uma segunda etapa de tratamento, depois da completa troca dos dentes de leite pelos permanentes.

Obs.: Clique nas palavras sublinhadas para visualizar casos tratados.